Miguelez, O. M. Narcisismos. Dissertação de mestrado em Psicologia Clínica pela PUC-SP, 2005.

NARCISISMOS (2005)

Resumo:

Esta pesquisa surge da constatação de que o conceito de narcisismo esconde grande diversidade sob uma aparência de homogeneidade e clareza e, também, do fato de existir forte tendência à sua banalização. Com o objetivo de restituir ao conceito sua complexidade e importância na psicanálise de hoje, rastrearam-se suas origens na obra de Freud, na tentativa de cercar o reticulado conceitual que lhe dá sustento e suporte, sem furtar-se a levantar também os problemas e conflitos que provoca.

Destacaram-se na obra de Freud os lugares em que se apóiam autores posteriores. Assinalaram-se, também, futuras tendências ou modos particulares de compreender determinados assuntos, o que permitiu perceber que alguns deles se afastam da essência do narcisismo e quiçá também da psicanálise.

Um particular interesse pelos fenômenos psicóticos, em especial a esquizofrenia, marca fortemente as análises efetuadas no último capítulo. Questiona-se a compreensão freudiana da esquizofrenia como uma regressão narcisista, uma vez que o grau de desestruturação que alguns pacientes apresentam, faz pensar mais em auto-erotismo que em narcisismo, pois a dispersão, própria do auto-erotismo, parece mais apropriada para descrever os quadros.  A integridade do eu, condição do narcisismo, não estaria sempre garantida na esquizofrenia.

 

Fonte: MIGUELEZ, Oscar Manuel (2005). Narcisismos. Dissertação de mestrado em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. (Publicada com o mesmo título pela Editora Escuta (São Paulo), em Outubro de 2007).

Publicado em Teses Marcado com: ,