O ideal da magreza e da santidade

Francy Ribeiro Moreira*

 

Resenha de Cybelle Weinberg, Faces do martírio: anorexia e santidade. Uma abordagem psicanalítica. São Paulo: Sá Editora, 2019, 224 p.

 

Este livro é resultado da publicação da tese de doutorado em Psicologia Clínica, defendida por Cybelle Weinberg em 2015, na PUC – SP. O trabalho de tal seriedade inaugura a “Coleção Teses Ceppan” da Clínica de Estudos e Pesquisa em Psicanálise da Anorexia e Bulimia, grupo de pesquisa e atendimento em transtornos alimentares, coordenado por Cybelle desde 2000. Uma trajetória de quase duas décadas de estudos na área do complexo tema que abrange os transtornos alimentares.

A referida tese tem por objetivo relacionar fatos da vida de Santa Veronica Giuliani, que viveu na Itália na passagem do século XVII para o século XVIII, com a clínica atual da anorexia. É estabelecido um paralelo entre as relações das santas e mártires com a Igreja Católica, e das meninas anoréxicas com suas mães. Vidas marcadas pelo excesso de sofrimento e desejo de alcançar a perfeição.

Interessante notar que a metodologia utilizada é a da Psicopatologia Fundamental, ou seja, escutar o que o paciente diz sobre seu pathos. Através desse método é possível utilizar fatos da vida de Santa Veronica e fazê-los dialogar com o presente da clínica da anorexia. Os diários editados da referida santa juntamente com extensa bibliografia formam uma produtiva fonte de pesquisa.

Weinberg analisa a infância, a adolescência de Veronica Giuliani, a vida no convento, a doença, morte e canonização. Passo a passo a leitura de partes do diário, que nos é apresentada, traz a descrição de um “êxtase anoréxico” que é interpretado como a crença na possibilidade de uma pessoa se unir a um ideal de perfeição.

Casos de automutilação e hemorragias autoprovocadas são descritos com perspicácia. Pacientes que transformam o corpo em sofrimento, que lutam para encontrar uma identidade, uma autonomia e a separação de um objeto materno intrusivo. O desejo de não desejar, a insatisfação com o próprio ego, a negação da sexualidade são características das pacientes anoréxicas. A doença utilizada como caminho de atingir um ideal, seja de magreza, seja de santidade. Perseverança mortal.

Nas considerações finais, a autora descreve a anorexia como uma manifestação da melancolia. Uma forma de compreender esta patologia exige um percurso por textos de Freud, Abraham, Fédida, entre outros autores importantes com os quais o leitor é presenteado nesta obra pela leitura crítica de uma vasta bibliografia.

Cybelle Weinberg termina de forma generosa ao oferecer uma via para uma nova pesquisa: a possibilidade de estabelecer uma relação entre a escrita de Santa Veronica Giuliani e o barroco italiano dos séculos XVII e XVIII. E mais, anuncia um próximo volume a ser lançado em 2020 pela CEPPAN. Esta exímia profissional, que há anos se dedica ao estudo dos transtornos alimentares, enriquece o ambiente de pesquisa no qual está inserida.

 

*Psicanalista, Mestre em Psicologia Clínica pela UNESP

Publicado em Resenhas